Espero que gostem, que sigam e comentem.

30 maio, 2011

   Enquanto o céu cristalino e os seus raios esporádicos me iluminavam o dia, a melancolia  daquele dia continuara a assombrar-me. Cada vez mais, os suspiros me afectavam e tu, com a maior das naturalidades, continuavas o teu alegre caminho, sem nunca, mas nunca olhar para trás. A minha vida amarga acariciava a tua existência, sempre sem efeito. O contraste fazia tudo parecer igual, e a monotonia da tua pessoa desagradava-me. Jamais me senti compreendida ao teu lado, apenas me sentia vazia , sem a tão desejada felicidade e desprovida de qualquer sentimento. Era realmente infeliz. E tu, nunca fizeste nada para o mudar. Era um rubro de sensações nada boas que pretendia acabar, porém sei que me irias fazer falta. É sempre bom sentir que temos alguém, mesmo que não nos ame. E isso alimentava o teu ego, pois sabias que eu estaria sempre lá independentemente de tudo. E para isso, não necessitavas de fazer qualquer esforço para me manter. Por estaria sempre contigo, porque no fundo eu- apesar de não mereceres- amava-te.
   Olho agora para a imensidão de nuvens suspensas no ar, fazendo um jeito de reconforto. Pensando que se quisesse, um dia, poderia ser feliz. Não contigo, talvez sozinha.

4 comentários:

  1. Amei o texto, mais uma vez te digo: escreves lindamente!
    os teus textos tem sentimento, e verdade. carinho e vontade de se escrever. parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Concordo, escreves muito melhor que eu!! :S

    ResponderEliminar